Aumenta o uso diário de maconha entre os estudantes universitários dos EUA – Números mais altos desde 1980

setembro 1, 2015
Contact: umichnews@umich.edu

Aumenta o uso diário de maconha entre os estudantes universitários dos EUA –  Números mais altos desde 1980ANN ARBOR—O consumo diário de maconha por estudantes universitários nos EUA ultrapassou o de cigarros pela primeira vez em 2014 e continua a subir.

Uma série de pesquisas nacionais com os estudantes universitários norte-americanos, que faz parte do estudo da U-M “Monitorando o Futuro”, mostra que o consumo da maconha tem aumentado no campus desde 2006.

Um em cada 17 estudantes universitários fumam maconha diariamente ou quase diariamente, o número mais elevado desde 1980, o equivalente a 5,9% dos estudantes, em comparação à 3.5% em 2007.

“É evidente que tem havido um aumento no uso de maconha entre os estudantes universitários no país nos últimos sete ou oito anos”, disse Lloyd Johnston, principal autor do estudo. “E isso está em paralelo a um crescimento no consumo por parte também dos estudantes do ensino médio.”

O estudo “Monitorando o Futuro” começou em 1980. É uma pesquisa anual que analisa o envolvimento de drogas entre os estudantes universitários nos Estados Unidos nos últimos 35 anos.

Outras medidas do uso da maconha também mostraram aumento: a porcentagem de universitários usando maconha uma vez ou mais vezes, nos 30 dias anteriores à pesquisa, subiu de 17%, em 2006, para 21%, em 2014. O uso no ano anterior à coleta de dados, subiu de 30% em 2006 para 34% em 2014.

Grande parte do aumento nesses números, pode ser pelo fato de que, cada vez mais, menos jovens e adultos jovens veem o uso da maconha como perigoso. Por exemplo, 55% dos entrevistados entre 19 – 22 anos achava o uso regular da maconha perigoso em 2006, e apenas 35% o viam como perigoso em 2014.

O estudo também descobriu que a proporção de estudantes universitários que relataram qualquer uso de drogas ilícita (incluindo a maconha), nos últimos 12 meses, aumentou de 34% em 2006 para 41% em 2013, antes de cair ligeiramente para 39% em 2014. O aumento nos últimos sete anos foi impulsionado principalmente pelo aumento da maconha, embora ela não tenha sido a única droga em ascensão.

A proporção de estudantes universitários usando outras drogas ilícitas aumentou de 15% em 2008 para 21% em 2014, nos últimos 12 meses anteriores à pesquisa. O aumento parece ser atribuído principalmente ao aumento do uso de anfetaminas (prescrição) e o uso de ecstasy. O uso – não médico – de anfetaminas duplicou entre 2008 e 2012, variando de 5,7% para 11,1% e se estabilizou em 10,1% em 2014.

“É provável que a tentativa dos estudantes para melhorar o desempenho escolar aumentou o consumo de anfetaminas no campus”, disse Johnston. “Felizmente, pelo menos o uso destas drogas parece ter estabilizado entre estudantes universitários.”

Entre 1983 e 2008, os formandos do ensino médio, que não frequentavam a faculdade, relataram um maior consumo de anfetaminas que seus colegas que estavam cursando o ensino universitário, mas desde 2010, os estudantes universitários têm relatado uma maior taxa de utilização.

Álcool e tabaco
A pesquisa também inclui dados sobre o uso de álcool e cigarro. Particularmente preocupante é o consumo excessivo de álcool, definido em primeira instância como ingerir 10 bebidas alcoólicas em seguida, e em segunda, 15 drinks, sem interrupção. Considerando os dados combinados de 2005 e 2014, estima-se que 13% dos estudantes consomem álcool em excesso dentro da primeira definição, e 5% dos estudantes universitários estão na segunda categoria.

“Apesar de uma pequena melhora no consumo excessivo de álcool nas universidades, ainda há um número considerável de estudantes que consomem álcool a níveis particularmente perigosos,” disse Johnston.

63% deles relataram ter tomado pelo menos uma bebida nos últimos 30 dias antes da pesquisa, um número menor em comparação à 67% em 2000 e 82% em 1981. Além disso, 43% disseram ter ficado bêbado nos últimos 30 dias, em comparação à 48% em 2006, um outro declínio.

O tabagismo continua a diminuir entre os estudantes universitários em todo o país. Em 2014, 13% dos estudantes disseram ter fumado nos últimos 30 dias, em comparação com 14% no ano anterior e 31% em 1999. Apenas 5% relataram fumar diariamente em comparação com 19% em 1999.

Infelizmente, os declínios em fumar cigarro foram acompanhados de alguns aumentos no uso de outras formas de tabaco ou nicotina. Fumar tabaco usando um cachimbo de água (um tipo de cachimbo de água) aumentou substancialmente entre estudantes universitários, de 26 por cento em 2013 para 33% em 2014.

Em 2014, o uso de cigarros eletrônicos ou e-cigarros, durante os 30 dias anteriores à pesquisa, foi de 9,7%, enquanto o uso de charutos pequenos, com sabor, foi de 9,8%, de charutos pequenos regulares de 8,6% e de charutos grandes de 8,4 por cento.

Matéria completa, em inglês 

Estudo completo