Fotos jornalísticas moldam atitudes em relação à imigração

maio 19, 2021
Contact: Fernanda Pires fpires@umich.edu

Fotografias jornalísticas de imigrantes afetam as atitudes de alguns americanos em relação à imigração, mostra um novo estudo da Universidade de Michigan.

Fotos de grandes grupos de imigrantes, como uma caravana de migrantes, podem diminuir o apoio à imigração. Imagens de pessoas, no entanto, provocam o efeito oposto. Em consonância com o trabalho sobre a “positividade das pessoas”, as imagens personalizadas tendem a aumentar o apoio à imigração, principalmente entre os americanos sensíveis ao tópico.

A cobertura jornalística sobre a imigração se intensificou na última década, já que os meios de comunicação frequentemente relatam sobre os migrantes da América Central—muitas vezes retratados aos milhares—vindos para a fronteira México-EUA em busca de refúgio de seus países de origem. O texto e as fotos usadas nessas matérias moldam os sentimentos públicos.

Guadalupe Madrigal, autora principal do estudo e candidata a doutorado no Departamento de Comunicação e Mídia da U-M, junto com o professor Stuart Soroka, examinou como essas histórias e imagens estão conectadas às percepções de ameaças e positividade da pessoa.examinou como essas histórias e imagens estão conectadas às percepções de ameaça e positividade da pessoa.

Madrigal e seus colaboradores conduziram uma pesquisa online na qual os entrevistados lêem aleatoriamente uma notícia com uma imagem de imigrantes em uma multidão, uma imagem de um imigrante sozinho ou um experimento controlado sem uma matéria ou foto.

Os entrevistados então relataram seu apoio à imigração em geral, como também a uma série de políticas de imigração. Eles também responderam a perguntas da “Escala de Medo de Ameaça,” não relacionada à imigração.

Os pesquisadores descobriram que as fotos afetaram o apoio dos entrevistados à imigração. Para este grupo, ver a imigração no contexto de grandes grupos anônimos sugere ameaça, enquanto ver os imigrantes individuais desfaz essa raiz de ameaça.

“Entre os americanos sensíveis às percepções de ameaça, as maneiras pelas quais as fotos jornalísticas capturam a imigração podem fazer uma diferença importante nas atitudes em relação à imigração,” disse Madrigal.

As descobertas, publicadas no International Journal of Press/Politics, não sugerem que as atitudes de todos sejam facilmente afetadas pelas fotos das notícias, dizem os pesquisadores.

“Eles sugerem, em vez disso, que o impacto das imagens depende de outras atitudes e predisposições preexistentes”, disse Soroka, professor do Centro de Estudos Políticos do Instituto de Pesquisa Social.

Mesmo assim, dizem os pesquisadores, as imagens podem importar/impactar um grupo significativo de americanos. Eles descobriram que fotos de imigrantes individuais parecem suavizar—e até reverter—o impacto negativo da sensibilidade a medidas nas atitudes em relação à imigração.

 

Mais Informações: