Estudantes de Michigan estreiam como estagiários na Copa do Mundo da Rússia

junho 7, 2018
Contact: Fernanda Pires fpires@umich.edu

ANN ARBOR – Quatro estudantes da Universidade de Michigan participarão da Copa do Mundo da FIFA que começa esta semana – não como jogadores, mas como estagiários de gerenciamento esportivo.

A equipe da Escola de Cinesiologia da U-M já está na Rússia pronta para ganhar experiência profissional no maior evento esportivo do planeta. É a primeira vez que os alunos da U-M trabalharão oficialmente como estagiários na Copa do Mundo.

Juntamente com outros 15.000 voluntários de todo o mundo, os estudantes da U-M vão estagiar em diferentes aspectos da indústria esportiva internacional, nas 54 partidas disputadas nos 12 estádios das 11 cidades-sede da Rússia.

“Essa experiência única e intensa dará a eles uma perspectiva melhor sobre como o esporte funciona em escala global,” disse Ryan Olthoff, coordenador de estágio do Programa de Gerenciamento Esportivo, da Escola de Cinesiologia. “Seria difícil encontrar outra oportunidade em que nossos alunos estivessem cercados por um grupo mais diversificado de pessoas, todas trabalhando juntas.”

Marcus Cook kicking a soccer ball in Russia

Marcus Cook trabalhará como voluntário da área de hospitalidade, ajudando os fãs durante a Copa do Mundo.

Estudante do segundo ano, Marcus Cook está contando os dias, talvez “os minutos”, para as bolas começarem a rolar em Saransk, a cidade onde ele ficará por cerca de três semanas.

“Quando ouvi sobre essa oportunidade, decidi aplicar imediatamente,” disse ele. “Vamos aprender muito e ver como os grandes eventos esportivos operam. Esse torneio de futebol é a competição mais vista do mundo e estou muito empolgado por fazer parte disso.”

Cook trabalhará como voluntário da área de hospitalidade, ajudando os fãs durante a Copa do Mundo.

“Esta é a área em que quero trabalhar quando eu me formar, então vou aproveitar esse momento e aprender o máximo possível,” disse ele.

Indo para o último ano, Yuliya Ivanova trabalhará como coordenadora dos voluntários, em Moscou. Com dupla cidadania, russa-americana, ela vai usar sua fluência no idioma do país anfitrião para treinar e supervisionar outros voluntários.

“Não tenho outras experiências em grandes eventos esportivos e estou muito animada,” disse ela. “Acredito que as semanas serão de bastante trabalho, mas extremamente divertidas.”

Trinta estudantes da Escola de Cinesiologia se candidataram para as vagas de estágios que Olthoff criou com a FIFA. Além da experiência única, os alunos receberão crédito acadêmico pelo trabalho que fizerem na Rússia.

“Espero que a Escola de Cinesiologia possa continuar esta parceria com a FIFA,” disse Olthoff. “Já estamos planejando enviar estudantes para a Copa do Mundo Feminina da França, no próximo ano.”

Riley Nelson will work in media relations during the World Cup.

Riley Nelson estará em Samara e vai trabalhar em relações públicas

Recém-formada pela Escola de Cinesiologia, Riley Nelson estará em Samara, outra cidade-sede.

“Vou trabalhar em relações públicas e diretamente com a mídia, área em que quero atuar. Estou muito animada para ver o trabalho sendo feito em uma escala tão grande,” disse ela.

A Copa do Mundo será sua segunda experiência em grandes campeonatos. Durante o seu último ano, Riley trabalhou para o time de hóquei no gelo de Michigan e viajou para a competição nacional Frozen Four com a equipe.

“Estou buscando uma carreira na indústria do hóquei,” disse ela. “No entanto, se eu fizer conexões enquanto estiver na Rússia, eu ficaria feliz em começar minha carreira no futebol, esporte que pratiquei por 12 anos e adoro.”

Gestão de Esportes