Problemas para dormir? Prejuízo cognitivo mais provável tarde na vida

junho 10, 2021
Contact: Fernanda Pires fpires@umich.edu

Insomnia concept image. Image credit: Megan te Boekhorst via Unsplash

Se você está tendo dificuldades para adormecer, é provável que enfrente problemas de memória ou concentração mais de uma década depois, de acordo com uma nova pesquisa da Universidade de Michigan.

Problemas para dormir foi o único sintoma que previa baixo desempenho cognitivo 14 anos depois, quando comparado com outros sintomas de insônia, mostrou o estudo.

Há evidências crescentes de ligação entre insônia e comprometimento cognitivo em adultos mais velhos, porém interpretar essas associações pode ser difícil com base na dinâmica de cada pessoa, disseram os pesquisadores.

“Ao investigar associações entre queixas específicas de insônia e cognição, esperamos obter clareza adicional sobre como esses diferentes problemas de sono podem levar a resultados cognitivos ruins,” disse Afsara Zaheed, principal autora do estudo e candidata e doutoranda na Escola de Psicologia da U-M.

Os dados envolveram cerca de 2.500 adultos com mais de 65 anos do Health and Retirement Study, um estudo longitudinal de envelhecimento em uma amostra nacionalmente representativa de adultos com mais de 51 anos nos Estados Unidos.

Em 2002, os entrevistados relataram ter insônia, que incluía dificuldade para adormecer, acordar à noite com frequência, despertar cedo e não se sentir descansado. Durante o acompanhamento (nova parte da pesquisa) em 2016, muitos apresentaram problemas de memória, linguagem e outras funções. Aqueles que relataram distúrbios mais frequentes para adormecer em 2002 tiveram “piores pontuações” ou “desempenho inferior” em 2016, em comparação com aqueles que não tinham esse sintoma de insônia.

Outra descoberta importante foi que os sintomas depressivos e as doenças vasculares em 2014 explicaram parcialmente a relação entre dificuldade para adormecer em 2002 e cognição em 2016.

Esses resultados são importantes devido à falta de tratamentos atualmente disponíveis para distúrbios cognitivos na idade avançada, como a doença de Alzheimer e outras demências, disse Zaheed.

Pesquisas adicionais são necessárias para determinar se a intervenção nos sintomas de insônia, ou depressão e doença vascular, pode prevenir ou retardar a progressão das deficiências cognitivas, disse ela.

O estudo será apresentado esta semana na American Academy of Sleep Medicine e na Conferência Anual do Sono da Sleep Research Society.

Resumo do estudo: Sintomas de insônia e desempenho cognitivo subsequente em idosos: os sintomas depressivos e a doença vascular são mediadores? | Insomnia Symptoms and Subsequent Cognitive Performance in Older Adults: Are Depressive Symptoms and Vascular Disease Mediators?