Quando estão “grávidos”, pais também experimentam alterações hormonais

dezembro 18, 2014
Contact: umichnews@umich.edu

Um pai sente o estômago de uma mulher grávida. (imagem)ANN ARBOR—O período pré-natal pode diminuir dois hormônios nos homens — o estradiol e a testosterona, segundo pesquisadores da Universidade de Michigan. Esse é o primeiro estudo de grandes dimensões sobre homens antes de se tornarem pais.

Outros estudos indicam que os hormônios dos homens mudam uma vez que eles se tornam pais. Existem algumas evidências de que se trata de uma função de declínio após o nascimento da criança. O novo estudo da U-M é o primeiro a mostrar que o declínio pode começar ainda mais cedo, durante a transição para a paternidade, disse Robin Edelstein, principal autor do estudo.

“Ainda não sabemos exatamente por que os hormônios dos homens estão mudando,” disse Edelstein, professor associado de Psicologia da U-M. “Essas mudanças podem ser em função das alterações psicológicas que homens experimentam enquanto se preparam para se tornar pais, mudanças em seus relacionamentos românticos ou alterações físicas que os homens experimentam juntamente com suas parceiras que estão grávidas.”

“No entanto, as alterações hormonais dos pais poderiam ter implicações importantes para o comportamento dos homens quando seus bebês nascem.”

Mães grávidas experimentam mudanças hormonais significativas durante a transição para a maternidade, mas mudanças hormonais nos pais durante o pré-natal são bem menos conhecidas.

Edelstein e seus colaboradores examinaram a testosterona, o cortisol, o estradiol e a progesterona em 29 casais à espera do primeiro filho, com idades entre 18 e 45 anos. As amostras de saliva, tanto das mulheres quanto dos homens, foram coletadas quatro vezes durante o período pré-natal, nas semanas 12, 20, 28 e 36 da gravidez.

As mulheres mostraram grandes aumentos dos quatro hormônios durante o pré-natal, enquanto os homens apresentaram declínios na testosterona (que é associada com agressividade e cuidado parental) e no estradiol (que está associado a cuidados e ligações afetivas). Não foram encontradas nos homens alterações no cortisol ( hormônio do estresse) ou na progesterona (que está associada a proximidade social e comportamento materno).

Fica comprovado então, que não é apenas a presença de uma criança que diminui a testosterona, diz Edelstein. Uma limitação do estudo novo — no que se refere à baixa testosterona — é que os investigadores não têm um grupo de comparação de homens que não estão à espera de um filho.
“Assim, não podemos descartar completamente a possibilidade de que as mudanças são simplesmente devido à idade ou a passagem do tempo,” disse Edelstein.

Os resultados aparecem na American Journal of Human Biology.

 

Links relacionados: